Eletrizante. Esta é a palavra que sintetiza Trio Forrózão no palco. Ave selvagem, garganta de aço, Bastos se transfigura no palco, como um caleidoscópio de voz, vibração e gestos incendiários.

Filhos do nordeste brasileiro, nascidos no alto sertão da Paraíba, o Trio Forrózão teve a sorte de ter um padrinho músico( Caetano Veloso ) que os levou para a arte nacional. Cresceram no Nordeste, tiveram como cartilha os mais diversos ritmos da região: baião, maracatu, xote, frevo, pastoril, caboclinhos e forró, muito forró. Gêneros musicais que preservam a pureza de uma cultura eminentemente popular.

Ainda que cantasse desde criança, Bastos iniciou sua carreira profissional tocando na Feira de São Cristóvão - RJ em 1984. Foram doze anos na feira, tocando com diversas pessoas até chegar a conhecer no ano de 1990 Nicodemus zabumbeiro e Zezinho Sanfoneiro. Nascia aí o TRIO FORRÓZÃO que inicialmente eram um trio, com o agravamento do esforço repetitivo do triangulo Bastos não podendo mais tocar convidou Edson no ano de 1996 para integrar ao trio como triangulista, transformando em um quarteto e batizando Edson artisticamente como Xupa Kabra.

Em 1997, trocaram a feira pela apresentações em faculdades no Rio de Janeiro e aí surgia o Forró universitário. Bastos e o trio com sua interpretação marcante renderam lhe seu primeiro contrato com a gravadora NATASHA RECORDS de Caetano Veloso que acreditou e apadrinhou a banda. Posteriormente gravaram mais quatro obras.

Rapidamente o trio despontou no meio musical, passando a integrar o primeiro time da Música regional Brasileira. Os discos se seguiam a cada ano, juntamente com shows que cada vez mais marcavam a sua presença única no palco. “É no palco cantando que nos nós sentimos mais vivos”, afirma o trio.
No ano de 2003 o trio reaparece com uma nova formação preservando o garganta de aço Bastos e Xupa Kabra o dançarino do triangulo. Então, da Paraiba veio Zezinho Boni sanfoneiro de Campina Grande e de Pernambuco Nicodemus. No ano de 2006 o Trio assinou com a ROB DIGITAL RECORDS gravaram “ NA PUXADA DE REDE “ obra esta que caiu nas graças da mídia, chegando o trio a finalistas do Premio TIM DE MUSICA 2007, estando entre os três melhores grupos regionais do Brasil.

Seus espetáculos abrangem todos os públicos. São shows em feiras agropecuárias, festivais de forró, festas juninas, carnavais, festivais de rock, convenções e todo o tipo de eventos. Seu público não é definido: jovens e adultos de todas as classes são atingidos pelo trabalho do trio.

Bastos o timoneiro do grupo justifica a imensa abrangência do seu público pela amplitude do seu trabalho. Não existe nada de “standard” no Trio Forrózão. Os ritmos, as fusões, as influências e tudo o mais que signifique música está em seus shows.

Nova York, Londres e dezenas de lugares por todo o mundo atestam a grandeza do trabalho do Trio Forrózão. Viva a musica do sertão, viva o Forró!!!

CDs do Trio Forrozão

 

 

 

 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

• MYSPACE

myspace.com/triforrozao